Annie Proulx - Um Livro Por Dia

terça-feira, novembro 30, 2010

Atar e desatar nós


Este é o relato de alguns anos na vida de um sujeito corpulento, desajeitado, “tropeçando sem ir a lado nenhum”. De como, após várias tragédias pessoais, ele trocou o estado de Nova Iorque pela ilha no leste canadense onde os seus antepassados viveram durante um século, e ali terminou por conquistar “beijos autênticos da Terra Nova, com sabor a tarte de barbatana de foca”. Esta é a história de The Shipping News, o livro que chega a Portugal doze anos depois de tornar famosa a norte-americana Annie Proulx (cujo conto “Brokeback Mountain” foi levado ao cinema por Ang Lee). No centro, está Quoyle, o anti-herói que “viveu momentos de todas as cores, proferiu fulgurantes brilhos, tomou atenção ao rico som das ondas contando pedras, riu e chorou, reparou nos pores-do-sol, escutou melodias na chuva, disse Aceito.”
The Shipping News implica uma leitura singular. Não foi à toa que lhe foram concedidos os prémios Pulitzer, o National Book e Irish Times International, e que resistiu mesmo à discutível adaptação ao cinema por Lasse Hallström. Construído como uma rede de pesca, cheia de nós que cabe ao leitor desatar, o romance reproduz os avanços e recuos de Quoyle na procura de uma vida, e de uma personalidade, novas. Repleto de referências às actividades ligadas ao mar e de crónicas do quotidiano dos habitantes de remotos lugarejos como Unha-De-Fateixa ou Saca de Farinha, sustenta-se em grande parte na descrição da vida e cultura da Terra Nova. O sabor delicioso desse ambiente mantém-se intacto na edição portuguesa graças à excelente tradução de Nuno Batalha, que optou por traduzir topónimos e estabelecer correspondências entre a gíria e as expressões idiomáticas terra-novenses e diversos regionalismos do Português, sobretudo expressões açorianas. Ao leitor, embalado pelo estilo original de Annie Proulx, pede-se que acompanhe o narrador nos seus ângulos mais ou menos apertados de observação de cada personagem. E que tome especial atenção ao significado metafórico das epígrafes de cada capítulo, retiradas de O Livro dos Nós de Ashley ou do Dicionário de Marinharia.
Como um nó de enforcado, que é primeiro atado com folga e depois apertado aos poucos, as histórias de Quoyle, da sua tia e das suas duas filhas ou dos seus colegas no jornal “Grulhaço Terra-Novense”, prendem-nos a uma navegação poética. No final, como Quoyle, o leitor “foi inundado por um sentimento de pureza renovada, uma sensação de acontecimentos em trémulo equilíbrio. Tudo, tudo parecia portentoso, imbuído de importância”.

The Shipping News, Annie Proulx, Cavalo de Ferro, 348 págs.


SOL/ 07-10-2006
© Filipa Melo (interdita reprodução integral sem autorização prévia)

Pode Também Gostar de Ler

1 comentários