Inspector PIDE - Um Livro Por Dia

domingo, outubro 24, 2010

Um dos maus, por dentro

Depois de, em 2007, ter sido destacada com o Prémio Pessoa, Irene Flunser Pimentel mantém-se como uma das mais importantes contribuidoras para a renovação do entendimento de Portugal no século XX. Têm sido notáveis os retratos com contornos mais precisos trazidos pelos seus ensaios sobre a presença judaica durante a II Guerra Mundial, as vítimas de Salazar e as instituições do Estado Novo, nomeadamente as organizações de juventude feminina e a PIDE (Polícia Internacional de Defesa do Estado Novo, a operar entre 1945 e 1974). É a esta última (à qual dedicou a sua tese de doutoramento) que a historiadora regressa, de forma inovadora, com «Biografia de um Inspector da PIDE: Fernando Gouveia e o Partido Comunista Português». O livro já está à venda, pela Esfera dos Livros.
Numa «Nota Prévia», Flunser Pimentel justifica por que escolheu biografar Fernando Araújo Gouveia (1903-1990) e nele encarnar «o» inspector do Gabinete Técnico da Polícia Política, da PVDE(Polícia de Vigilância e Defesa do Estado)/PIDE/DGS(Direcção-Geral de Segurança). À abundância das fontes (o primeiro volume, publicado em 1979, das memórias do biografado e os documentos do processo judicial de que foi objecto no pós-25 de Abril) juntou-se a riqueza e a complexidade desta personagem meticulosa (definiu-se como «disciplinado e disciplinador»), «grande especialista, senão o maior» nos métodos de organização clandestina do PCP entre 1926 e 1974.
Detalhe vivo e uma visão precisa, mas singular e criativa, dos movimentos interactivos entre indíviduo e colectivo são algumas das características do estilo rico da historiadora. Agora, conta-nos a história da ascensão e queda do filho ilegítimo de um capitão da Armada que se tornou um pai de família severo (com filhos de vários casamentos), um fanático de Salazar, um operacional vaidoso, envaidecido pelo poder e pelo prazer que recolhia das suas investigações, e um temido torcionário. Defendendo um desempenho do historiador «nem neutro, nem juiz», antes ciente da projecção dos seus próprios valores na leitura do objecto, Flunser Pimentel ilumina o comportamento de um dos «maus», ao serviço do regime ditatorial durante 46 anos, enquanto desvenda, através dele, parte do «puzzle» da resistência comunista durante o  Estado Novo.

Biografia de um Inspector da PIDE, Irene Flunser Pimentel, Esfera dos Livros, 396 páginas

SOL/01-11-2008
© Filipa Melo (interdita reprodução integral sem autorização prévia)

Pode Também Gostar de Ler

0 comentários